Skip navigation

Apresentação Geral do Livro:

Penelope, já cansada das mentiras, infantilidade, falta de respeito, egoísmo e traições mal disfarçadas do marido (Andrea), decide abandoná-lo, após dezoito anos de casamento. Refugiou-se na casa de Verão de Cesenatico, para poder reflectir acerca daquela união e deixou-o encarregue dos três filhos, das tarefas domésticas, da empregada e das contas.

Para Andrea aquela decisão era incompreensível, uma vez que não se sentia assim tão culpado da acusação de  Pepe.

A separação acaba por trazer recordações, razões; acaba por mostrar os erros cometidos, desde o primeiro dia do seu casamento; acaba por mostrar que entre eles ainda havia algo.

Relação Título – Livro: depois da leitura deste livro, deduzi duas relações possíveis entre o livro e o título:

Uma das relações deve-se ao facto de Andrea, quando comete erros ou trai Penelope, lhe dar gelados ou bolos de baunilha e chocolate, para mostrar o seu arrependimento;

A outra relação deve-se ao facto de baunilha e chocolate serem sabores muito diferentes que, no entanto, combinam muito bem, assim como ocorreu com Penelope e Andrea, duas pessoas ainda unidas e com “traços” muito diferentes.

Ideias Relevantes (Transcrição de ideias e/ou frases relevantes):

“Baunilha e Chocolate” é um livro que fala, acima de tudo, de sentimentos como o amor, o desespero, a esperança, o egoísmo, a traição, a desilusão no casamento. O objectivo da história é mostrar como a compreensão, a espera e a reflexão podem alterar o comportamento de uma pessoa, e trazerem novamente a alegria e a felicidade a um casamento falhado e coberto de traições (neste caso por parte do marido).

“ Querido Andrea, desgraça da minha vida, tantas vezes ameacei ir embora, e nunca o fiz. Agora, vou-me embora. Sabes como sou lenta, mas tenaz, nas minhas decisões.

Em dezoito anos de casamento fui medindo o teu egoísmo, a tua capacidade de mentir, os teus medos, a tua infantilidade.

Não quero saber como te vais arranjar sem mim, uma vez que, sozinho, não és sequer capaz de abrir uma lata de cerveja. (…) Vais ter de enfrentar tudo isto e mais ainda, porque eu não vou estar aí a tentar, inutilmente, tapar as fendas de um barco destinado ao naufrágio.

 

 

Ficha de leitura e ilustração elaboradas por: Marta Dias, 8ºC

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: