Skip navigation

Apresentação geral do livro: Cotten Stone é a heroína desta história. É uma jornalista que ouve as últimas palavras de um moribundo vítima de uma doença hemorrágica desconhecida: “Agulhas Negras”. É o início de uma longa investigação que a envolve em perigosas e corajosoas aventuras.

John Tyler, um cardeal e amor impossível da nossa heroína, é raptado na Coreia do Norte, no castelo de Drácula. Cotten Stone consegue resgatar John com a ajuda de três antigos funcionários do KGB : Coronel Inavov , Victor e Krystof. Numa escuta de uma conversa dos raptores, Cotten Stone apercebe-se que toda esta encenação teve como único objectivo desviá-la das suas investigações sobre o vírus hemorrágico. Ela vai aperceber-se de todas as ligações desta história à segunda guerra mundial e aos ódios desenvolvidos entre os Japoneses e Coreanos contra os Americanos. De facto, as bombas atómicas e todas as armas biológicas desenvolvidas neste período provocaram marcas que dificilmente estes povos podem esquecer.

Moon Chang, a cientista que desenvolveu este misterioso vírus, quando era criança, assistiu ao assassinato dos pais e foi obrigada a fugir para a Coreia do Norte. Cotten Stone sente que é urgente acelerar a sua investigação quando John adoece e tudo indica que seja vítima do tal vírus desconhecido.

Num acto de desespero, a Jornalista aceita vender a sua alma ao filho da Aurora para salvar John, em troca, o filho da Aurora exige uma entrevista ao líder da Coreia (para que este fique bem visto), que Cotten permaneça na Coreia do Norte e que assuma que é a filha de Furmiel , uma “Neflim”.

Mais tarde, apercebendo-se do sucedido, vai falar com Ted, o seu grande amigo e patrão, e passam horas a arranjar um plano: pedir aos três ex-funcionários do KGB para a resgatarem da Coreia do Norte e impedirem que a cientista Japonesa de largar a última unidade víral. O plano teve sucesso e a humanidade foi salva.

Relação título/livro: Antes da Segunda Guerra Mundial foi criada, secretamente, no Japão, a Unidade 731 que se dedicava ao desenvolvimento de armas biológicas destinadas à guerra biológica. Disfarçada de empresa científica fizeram-se atrocidades com experiência humana hedionda. Foi como homenagem a esta Unidade que Moon Chang chamou à primeira largada do vírus, a unidade 731. De facto, está presente o mesmo ódio à humanidade e a mesma falta de limite à criação do mal.

Relação pessoal ao livro: Eu penso que é um livro muito complexo, para perceber alguns factos da história tive que pesquisar e estudar algumas coisas. É uma mistura de religião, História, Biologia e imaginação. Espero que as pessoas que já o leram ou vão ler tenham gostado dele como eu gostei. Este livro é um livro vai captando o interesse e a curiosidade do leitor, tornando-se cada capítulo mais viciante do que o anterior. Eu aconselho este livro às pessoas que têm interesse por aventuras e um pouco de paciência, porque não é logo depois de lerem uma página que irão perceber a história toda.

Leitura, registo e ilustração elaborados por: Margarida Rufino, N.º 13, 8ºC

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: