Skip navigation

Apresentação geral do livro:

Clara, com dez anos, e Leonor, com seis, são duas irmãs que, com estas respectivas idades, perdem a mãe num acidente. O pai, que vive com a mulher e com os filhos desta, não lhes dá a devida atenção e preocupação, e, juntamente com a opinião de Paula, a sua mulher, decidem que as duas irmãs vão passar as férias de Verão com a avó Matilde, a avó materna com que nunca antes tiveram contacto.

A avó Matilde vivia na Quinta do Chorão, em Coimbra. A mãe de Clara e Leonor vivera lá anos antes, até decidir ir estudar para Lisboa, onde viria a conhecer o pai destas e a fixar-se na cidade. Durante algum tempo não tivera contacto com os pais, e quando finalmente lhes mandou uma carta foi para anunciar que tinha uma filha, com uma foto desta (de Clara). O pai com o choque teve um enfarte de que viria a morrer um mês mais tarde, e, assim, a avó Matilde culpara-a pela morte do pai, daí a que a mãe e a avó não se falarem. Clara pensava que, se a mãe não gostava da avó Matilde, ela também não iria gostar. Porém, Leonor não concordava com a irmã e simpatizava com a avó.

Assim, quando Clara e a irmã se mudaram para a Quinta do Chorão nas férias, durante o Verão, tiveram bastantes problemas em relacionarem-se com a avó, principalmente Clara. Esta não queria ganhar a confiança da avó, tendo havido algumas intrigas, discussões e problemas, mas que se resolveram e, no final do verão, ambas as irmãs quiseram continuar lá a viver, pelo que isso aconteceu até estas crescerem e Clara se tornar freira e ir em remissão para África e Leonor permanecer na Quinta.

Reacção pessoal ao livro:

Pessoalmente gostei bastante deste livro, pelo menos a mim transmitiu-me uma boa relação que há entre duas irmãs que lutam pela mesma coisa, neste caso pela mesma grande perda, e que uma criança consegue ser muito forte quando realmente gosta mesmo de ajudar outra pessoa (neste caso a irmã) e que, mesmo ela própria estando a sofrer, é como se preferisse sofrer ela em vez da irmã, ou seja, só quer a sua felicidade. Penso que acima de tudo é isso que esta história transmite, e que as pessoas que lerem o livro percebem perfeitamente e o título adequa-se perfeitamente.

Transcrição de ideia(s)/frase(s) relevante(s):

“A minha irmã foi sempre o meu barómetro: se ela previa tempestade, eu tinha a certeza de que se aproximava uma borrasca e já começava a sentir frio e a ver pingas de água que ainda não tinham descido das nuvens”.

Ficha de leitura e ilustração elaboradas por: Renata Gonçalves, N.º 17, 8ºC

Olá a todos!🙂

Deixo-vos uma (nova) “ferramenta tecnológica” que poderá funcionar como entretenimento durante as férias e ajudar na maneira como entender o mundo.

Será que este (novo) dispositivo nos poderá ser útil durante as férias que agora começam? Como?🙂

Fica o desafio!

Boas férias!😉

Apresentação Geral do Livro:

Penelope, já cansada das mentiras, infantilidade, falta de respeito, egoísmo e traições mal disfarçadas do marido (Andrea), decide abandoná-lo, após dezoito anos de casamento. Refugiou-se na casa de Verão de Cesenatico, para poder reflectir acerca daquela união e deixou-o encarregue dos três filhos, das tarefas domésticas, da empregada e das contas.

Para Andrea aquela decisão era incompreensível, uma vez que não se sentia assim tão culpado da acusação de  Pepe.

A separação acaba por trazer recordações, razões; acaba por mostrar os erros cometidos, desde o primeiro dia do seu casamento; acaba por mostrar que entre eles ainda havia algo.

Relação Título – Livro: depois da leitura deste livro, deduzi duas relações possíveis entre o livro e o título:

Uma das relações deve-se ao facto de Andrea, quando comete erros ou trai Penelope, lhe dar gelados ou bolos de baunilha e chocolate, para mostrar o seu arrependimento;

A outra relação deve-se ao facto de baunilha e chocolate serem sabores muito diferentes que, no entanto, combinam muito bem, assim como ocorreu com Penelope e Andrea, duas pessoas ainda unidas e com “traços” muito diferentes.

Ideias Relevantes (Transcrição de ideias e/ou frases relevantes):

“Baunilha e Chocolate” é um livro que fala, acima de tudo, de sentimentos como o amor, o desespero, a esperança, o egoísmo, a traição, a desilusão no casamento. O objectivo da história é mostrar como a compreensão, a espera e a reflexão podem alterar o comportamento de uma pessoa, e trazerem novamente a alegria e a felicidade a um casamento falhado e coberto de traições (neste caso por parte do marido).

“ Querido Andrea, desgraça da minha vida, tantas vezes ameacei ir embora, e nunca o fiz. Agora, vou-me embora. Sabes como sou lenta, mas tenaz, nas minhas decisões.

Em dezoito anos de casamento fui medindo o teu egoísmo, a tua capacidade de mentir, os teus medos, a tua infantilidade.

Não quero saber como te vais arranjar sem mim, uma vez que, sozinho, não és sequer capaz de abrir uma lata de cerveja. (…) Vais ter de enfrentar tudo isto e mais ainda, porque eu não vou estar aí a tentar, inutilmente, tapar as fendas de um barco destinado ao naufrágio.

 

 

Ficha de leitura e ilustração elaboradas por: Marta Dias, 8ºC

Olá!

Aqui ficam os conteúdos para o teste escrito de Língua Portuguesa, de 28 de Maio.

– Cena do texto dramático Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett, com perguntas de compreensão e interpretação.

– Conhecimento explícito da língua:

classificação sintáctica e morfológica

colocação do pronome pessoal

campo semântico e campo lexical

divisão e classificação de orações

– Expressão escrita

Bom estudo!😉

Apresentação geral do livro:

Brian e Sara são os pais de Jesse e Kate, uma família aparentemente feliz até à data em que descobrem que Kate, com três anos, sofre de leucemia. Uma vez que nenhum dos restantes três membros da família é compatível com ela, os pais decidem ter um novo filho para a salvar. É assim que nasce Anna que, aos trezes anos, já passara por inúmeros tratamentos, várias cirurgias, transplantes de medula óssea, injecções, transfusões, etc, para ajudar a irmã.

Insuficiência renal é agora o problema de Kate. A hipótese seria Anna doar um rim à irmã, no entanto, esta rejeita, não quer enfrentar mais cirurgias e chega mesmo a processar os pais por, em todos aqueles anos, nunca ter tido escolha em relação ao que fazer com o seu corpo.

Sara, dona de casa por causa dos filhos e da doença de Kate, tinha o curso de direito e, embora inexperiente, apresenta-se como advogada dela própria e de Kate. Tenta fazer Anna mudar de ideia, mas em vão. Nunca ninguém percebeu realmente o que levou Anna a fazer o que estava a fazer, nem mesmo o advogado que a defendia. No entanto, quando Anna depõe em tribunal, revela finalmente a verdade. Kate já tinha cometido algumas tentativas de suicídio pelo facto de estar farta da sua vida e da vida da sua irmã e, quando soubera que Anna teria de lhe doar um rim, pediu-lhe para não o fazer.

Anna consegue ganhar o caso, podendo decidir o que fazer com o seu corpo. Brian e Sara saem primeiro do tribunal, a filha fica com o advogado, e, pouco depois, Brian, que era bombeiro dedicado, é chamado para uma missão. Quando chega ao local, Brian reconhece o carro que estava no local do acidente e depara-se com a sua filha, Anna, imóvel e inconsciente ao lado do advogado. Vão para o hospital. Sara vai ter com Anna e vê-a imóvel e inconsciente ligada às máquinas. Os médicos falam com Sara e com Brian e informam-nos que a filha mais nova não terá hipótese de sobreviver. Com o consentimento do advogado de Anna, os médicos retiram-lhe o rim que a irmã Kate necessitava.

Kate sobrevive e é salva, mais uma vez, pela irmã. Fica feliz por ter o rim de Anna, pois, para onde quer que ela vá, a irmã estará sempre com ela.

Reacção Título-Livro:

O título corresponde ao conteúdo do livro, pois todos os sacrifícios, dores e tudo o que rodeia a vida de Anna é para o bem da sua irmã Kate.

Ideias relevantes:

O amor que existe entre duas irmãs e a luta que as duas conseguem fazer juntas é insubstituível. Apesar de todos os sofrimentos e da vida de uma irmã depender da outra, ambas nunca desistem e esperam sempre o melhor para as duas, criando laços entre elas muito fortes e fazendo tudo uma pela outra, mesmo que seja menos correcto, fazem tudo.

Reacção pessoal ao livro:

Este livro é bastante interessante e emotivo, mostra realmente o amor que existe entre duas irmãs, o que é uma verdadeira luta e a vontade de viver e de ajudar quem mais amamos.

Ficha de leitura: Renata Gonçalves, N.º 17, 8ºC

Olá!🙂

Aqui ficam alguns recursos / exercícios retirados da Internet sobre

Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett

para realizar e que vos podem ajudar na compreensão do texto.

Para resolver estes exercícios, basta clicar nos títulos em baixo.

Vocabulário do Teatro

Sobre Almeida Garrett

Texto lacunar sobre a peça

Compreensão global da peça

Depois da realização destes exercícios, podem (e devem🙂 ) fazer uma reflexão sobre a vossa compreensão da peça, o que precisam de ler melhor, uma ou outra dúvida que vos tenha ficado…

Enjoy!🙂

Olá!

Aqui ficam os vossos trabalhos em poesia visual.

Conforme combinado, fica o desafio para elegerem o melhor poema da turma em poesia visual e indicarem as razões da vossa escolha, relacionando, no poema, a forma e o conteúdo.

Nota: A eleição estará aberta até ao dia 14 de Maio, estando a ser ponderado o prémio para o/a vencedor/a.🙂

Apresentação geral do livro:

George é uma criança que vive muito privada do mundo à sua volta a nível de tecnologias pois os seus pais são super preocupados e cuidadosos com o ambiente. Certo dia, Fred, o porquinho de George, foge pelo quintal para a casa dos vizinhos. Isto obriga George a ir lá buscá-lo, acabando por conhecer Annie, filha de Eric, que era um grande cientista/astronauta e tinha um computador falante chamado Cosmos. Numa das brincadeiras com Annie, George descobre que Cosmos, para além de todas as suas espectaculares funções, também consegue transportar pessoas para qualquer ponto do espaço sideral, e acaba por passear com a sua amiga. Sabendo disto, Eric fica muito chateado e proíbe estes dois voltarem a brincarem juntos.

Havia na escola um concurso de trabalhos científicos no qual George queria participar, pois o prémio era um computador, coisa que este ansiava há muito tempo, mas sem a ajuda do seu amigo astronauta não o conseguiria fazer. O professor de matemática de George é um velho amigo de Eric e, ao saber que este se encontrava na cidade com Cosmo, fez de tudo para conseguir roubá-lo. No meio de muitas peripécias consegue-o, mas deixa o seu ex-colega perdido num buraco negro.

No final tudo fica bem: George ganha o concurso, reconcilia-se com Eric que sai do buraco negro, ficando a salvo. Este junta-se ao pai de George para assim conseguirem tornar o mundo melhor ou/e encontrar outro planeta onde seja possível a vida.

Relação título – livro:

Este livro tem como título A Chave Secreta para o Universo pois a história centra-se principalmente no computador Cosmos que é a grande “chave” para o Universo.

 Ideias Relevantes:

Este livro dá a conhecer ao leitor bastantes conceitos da astronomia. Ao longo dos capítulos encontramos explicações “extras” e imagens que fazem com que a compreensão da história seja mais acessível.

Transcrição de ideia(s)/frase(s) relevantes:

 “O nosso planeta é espantoso e é nosso (…) E precisamos urgentemente de o preservar (…) Mas temos de nos esforçar todos, senão não resulta e o nosso lindo planeta ficará destruído.” – escolhi esta frase pois acho que é uma das mensagens que este livro nos pretende transmitir.

Reacção pessoal ao Livro:

Antes de preparar este livro para apresentar à turma, já o tinha lido e tornou-se o meu livro preferido! É de uma leitura fácil e agradável (aspecto que para mim é muito importante visto que a leitura não é um dos meus passatempos preferidos).

Retrata um assunto que me faz levantar uma grande curiosidade: O Universo. Pesquiso frequentemente informações sobre isso e, para poder juntar uma obrigação a um interesse, decidi ler livros que abrangessem esse tema (tanto neste período como no período passado com o livro Passageiros do Tempo de António Carmo).

Com certeza que este livro se tornará um amigo para a vida, e daqui a uns tempos voltarei a lê-lo como agora o fiz.

Ficha de leitura e ilustração: Inês Costa, N.º 8, 8ºC

Resumo:

A história que vou apresentar faz parte de uma colectânea de contos, e chama-se: “A Estrela”, o autor é Vergílio Ferreira.

O Pedro é uma criança com 6 anos, gosta de sonhar, brincar e olhar o céu à noite. Vive com os pais numa aldeia. Numa noite, decidiu ir buscar uma estrela jovem que estava mais perto do que as outras estrelas que estavam velhas. Subiu a torre da igreja, foi extremamente difícil, mas chegou ao objectivo. Trazer a estrela para a casa e pô-la numa caixa foi o segredo dele. Ele viu que a estrela só brilhava à noite e ficava sem brilho de dia. Houve pessoas que viram um buraco feito no céu, que era o lugar da estrela, e queriam saber quem tinha sido o ladrão.

Numa noite, a mãe descobriu o que é que Pedro fez. Os pais obrigaram-no a dizer a verdade a toda a gente na aldeia. O resultado foi que eles todos decidiram que o Pedro fosse restituir a estrela no seu lugar no céu. O Pedro subiu uma escada, meteu a estrela, ela brilhou, o brilho dela deixou todos felizes. Todos ficaram felizes até que o Pedro caiu e… morreu. Aquela estrela foi uma lembrança do Pedro… eles lembram-no quando olham para a estrela.

Algumas mensagens escondidas neste conto:

A vida faz mais sentido quando se tem um sonho (!)

Não foi fácil para Pedro alcançar o sonho (a estrela), mas ele transformou Pedro num rapaz feliz.

Na minha opinião, o papel dos pais não foi fácil.

Eles tiveram de sacrificar a felicidade do filho, porque não queriam que ele fosse considerado um ladrão.

A estrela parece um sonho porque: está longe, é difícil de alcançar, é bela e brilhante.

Geralmente as pessoas não dão valor aos sonhos de cada um; não percebem a importância que os sonhos adquirem para os outros (ninguém se apercebe dos sonhos dos outros).

Reacção Pessoal:

Gostei bastante deste conto porque parece uma história muito infantil, mas é uma lição de vida para todos nós. E porque a vida deve ser  a luta pela Felicidade. Ela conquista-se através de sonhos que vamos concretizando.

Sobre o Autor:

Vergílio Ferreira (1916-1996) nasceu em Melo, Serra da Estrela, e faleceu em Lisboa. Frequentou o Seminário do Fundão (1926-1932) e licenciou-se em Filologia Clássica na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (1940). A par do trabalho de escrita, foi professor de Português e de Latim em várias escolas do país. Inicialmente neo-realista, depressa Vergílio Ferreira se deixou influenciar pelos existencialistas franceses (André Malraux e Jean-Paul Sartre). É considerado um dos mais importantes romancistas portugueses do século XX, tendo ganho vários prémios.

Ficha de leitura e ilustração: Meena Rawi, N.º 15, 8ºC

Resumo do livro:

O livro O velho e o mar de Ernest Hemingway conta a história de um velho pescador chamado Santiago que esteve a viajar com o seu barco no mar durante 84 dias sem pescar um único peixe.

Nos primeiros 40 dias, o menino Manolin vai com ele, mas mais tarde seus pais não permitem que este fosse com Santiago.

Depois de 85 dias, o velho rema sozinho no mar. Ele pesca um grande peixe que o leva para o alto mar. O velho manteve o olho nele para não o perder de vista porque o peixe era muito grande. O velho estava triste porque era mesmo muito grande e ele queria pescá-lo.

 No terceiro dia, o peixe começa a circundar em torno do barco. Santiago consegue pescá-lo, mas o sangue atrai tubarões. O velho não consegue espantar todos os tubarões e, por fim, quando vem para casa, só encontra o esqueleto do peixe atrelado ao barco. Em casa, o velho vai descansar. Na manhã seguinte o menino Manolin bate na porta e promete a Santiago que irá pescar com ele outra vez. 

Resumo e ilustração: Ana Margarida Correia, N.º 1, 8ºC